quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Mafalda querida...o meu dilema é o mesmo que o seu


















Ler ou não ler os jornais? Saber ou não saber do que tá acontecendo nesse mundão?

Eu costumo ter fases. Fase de querer ficar informada, poder participar de papos, trocar idéias com os amigos sobre as merdas do dia-a-dia.

Em outros tempos, assim que ouço o "bom dia" ou "boa noite" de um apresentador ou apresentadora de jornal, mudo a TV de canal ou mudo o rádio de estação. Passo perto de banca de revista e viro pro outro lado.

Atualmente, tô na fase de ler tudo, não tá escapando nada, ou quase, depende do tempo.

E é aí que mora o problema. A peleja. Nessa fase a irritação é frequente. A raiva, o desgosto, a impotência diante de muitos fatos, a tristeza da indiferença vivida pelas pessoas. Valha-me Deus! Dá vontade de voltar à fase avestruz.

Mas, com o blog, a coisa complica, não dá pra não participar.

Mesmo com raiva ou com desânimo por atitudes da nossa raça.

Como ficar animada com a cara e a fala pré-histórica do seusarney, com o discurso completamente incompreensível da donadilma - que o presidente insiste em nos enfiar goela abaixo - com o seulula visitando e dando apoio ao seufidel velho e caquento de guerra ? Como me animar vendo a fisionomia de desesperança no rosto da Yoani? Como ver um homem pagar 18 anos pelo crime de pensar diferente do governo do seu país e ser deixado morrer, propositalmente, por este mesmo governo, pra se ver livre de mais um gritando por liberdade ? Como ver que existem tantos hugoschavez nessa vida e ainda ser feliz ?

Falo, evidentemente, de alguns pontos que me desanimam, quando pego um jornal ou ligo o computador. Claro que tem coisa boa demais também acontecendo, mas, tirei hoje, pra falar sobre fatos que me impressionam pela falta de informação e importância dada pela própria imprensa. Falta de informar as pessoas menos favorecidas das ciladas tramadas por uma corja, "que quebra a dentadura mas não quer largar a rapadura".

Eu pensava, até um tempo atrás, que seria impossível o Brasil voltar aos tempos da ditadura.

Já não tenho mais tanta certeza. Se nós não abrirmos os olhos, a boca, as mãos, aqueles tempos, tão tenebrosos, estarão de volta.

ps.:os nomes em letra minúscula são propositais, não merecem mais que isso.

7 comentários:

JC disse...

Chérie, bom dia.
Você tem certeza que aqueles tempos eram assim tão tenebrosos?

Ieda Dias disse...

Absoluta
bjins

Luiz César disse...

Sou fâ da Mafalda. Super-fã!!! Como é que uma coisinha tão linda assim foi nascer na Argentina? É prá queimar minha língua. Brincadeira, conheço argentinos ótimos.
Ah! este mundão tem jeito não, uma hora melhora, outra hora piora. Sofre de uma doença crônica com altos e baixos. Os altos somos nós que o amamos e os baixos são formados pelo racismo, intolerância, maldade humana. Então, vamos aprimorar nosso medicamento.
Um abraço.

Ieda Dias disse...

Lu, precisamos ajudar a tirar aqueles dois imbecis lá de Cuba. Leia o blog da Yoani. Ela é muito boa.
bjins

José Luiz Foureaux de Souza Júnior disse...

Meu bem,
As minúsculas letras fazem, quse sempre, maiúsculas as ideias. Também sinto o mesmo quando, de vez em quando, alguma coisa sobre o Brasil me cai diante dos olhos. Daqui da terra das gravatas, não é fáicl acompanhar os trópicos. O que interessa do paraíso são aquelas coisas que os estereótipos culturais já estão cansados de repisar.. Mas dá um vontade de gritar, de vez em quando... Pode ser efeito da contagem regressiva também... Sei não... ou talvez o fato de os dias estarem gloriosamente ensolarados e azuis e brilhantes por aqui...
Saudades...
beijinho

Ieda Dias disse...

Já ta na contagem regressiva meu bem? Pra quando será o parto?
bjins

José Luiz Foureaux de Souza Júnior disse...

O parto é para julho...
;-)

VEJA TAMBÉM

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...