sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Quando um assassinato não resolve o problema

Sexta-feira, e me lembrei de um causu muito engraçado que aconteceu com uma amiga.
O marido - daqueles distraídos - não se lembrou que seria o niver dela no domingo. Causu antigo, do tempo em que as lojas fechavam no sábado ao meio-dia e domingo nem pensar em funcionar. Não sabia que já foi assim? Tem muita coisa que você nem sonha que já existiu, meu bem.
Então, ele teve uma brilhante idéia : pegou o talão de cheques, assinou uma substanciosa quantia, quantia esta que jamais gastaria se tivesse comprado algum presente, colocou em um envelope, e, no domingo cedo, pegou uma florzinha no jardim e com a cara mais singela do mundo deu a ela o presente.

A pobre coitada, como nem estava pensando em ganhar presente, muito menos no dia certo, quase teve um treco quando abriu o envelope.
Eitia, que o dia foi um dos melhores da vida dos dois! E dá-lhe beijos e mais beijos de agradecimentos, abraços sem fim, o almoço foi aquela alegria só. E ela passou o dia inteiro completamente desorientada, sem saber o que comprar primeiro. Só fazendo planos!
Porque a gente pode não estar precisando de nada, mas desde que pinta uma graninha, logo logo a fila engrossa.
E pensava nisso, naquilo, trocava, mudava a cor, comprou conjuntos, escolheu várias jóias pra ver se  decidia  só por uma, e trocou o visual dos cabelos, e até pensou, diante de tanta generosidade do marido, trazer um presentim pra ele também. Mulher é um bicho muito besta mesmo.

Bom, terminou enfim o longo domingo, e, na segunda, foi só despachar as crianças pra escola e o marido sair pro trabalho, se arrumou e correu pro banco pra sacar a bolada.
- Não tem fundos.
- ?
- Não tem  fundos, minha senhora!
- ?
- Minha senhora, a senhora está se sentindo bem?
O caixa só ia admirando a transformação facial. Parecia uma seção de photoshop. De uma cara ansiosa, passou pra uma de surpresa absoluta, pra outra de dúvida, outra de indignação, depois foi ficando vermelha, vermelha, muito vermelha, e agora as bochechas, que já começavam a roxear de ódio, tremiam levemente.
- A senhora aceita um copo d'água?
- Nã...nã...não. Não. O..o...obrigada.
E o caixa ficou olhando aquele corpo indo em direção à porta de saída do banco, como se fosse um zumbi.

Agora o causu já pula pro final da tarde, com o pulo da minha amiga no pescoço do marido, assim que ele tenta entrar em casa, voltando do trabalho.
- Seu filho de uma puta de uma figa! Como você pode fazer isso comigo? Como pode me fazer passar uma vergonha dessas? Como pode me deixar ficar igual uma idiota, fazendo planos o dia todo, comprando metade do mundo, com essa porra deste cheque sem fundos!
- Responde! Responde! E ainda aproveitou e se fartou com meu carinho, beijinhos e outras coisas mais que nem estavam previstas pro domingo! Seu viado de uma figa!
A situação já tava ficando Obama, quando ele, mui tranquilamente falou:
- Mas meu bem, minha querida, você não teve um final de semana lindo? Não foi ótimo sonhar durante horas e horas seguidas? Presente nenhum teria surtido um efeito melhor que o cheque, que juro, não foi premeditado. Realmente foi só pra salvar minha pele no final de semana.
Só não sabia que daria tão certo.

Ela desistiu. Nada mais foi dito. Jamais aquela anta mudaria seu comportamento, tranquilo, zen, relaxado.

Impossível assassinar uma besta desta.
Seria burrice.

6 comentários:

Regina Rozenbaum disse...

Burrice eu não sei... mas que deixava esse "traste" sonhando - um cadim - que tinha chegado no paraíso...ah isso eu deixava!!!
Beijuuss n.c.

www.toforatodentro.blogspot.com

Ieda Dias disse...

hhheeeee...eu que adoro a peça, perdôo...todo mundo tem um amigo/a assim...Sonso, mas q amamos.
bjos darling

Gui (Guizeiro) disse...

Sacanagem do cara, mas o casal tem que entender a situação, ser mais harmoniozo, se tem que dar presente ara reaquecer a chama, é sinal que não vai tão bem...

Bjs

Ieda Dias disse...

Ah! Gui, presente todo mundo adora, e de aniversário então? Quem não gosta? rrsssssss...mas ela tanto entendeu, que tudo continuou como dantes.......rs
bjos

Maga. disse...

Nem adianta mesmo matar a anta, o q fazer depois c o corpo???Dá mto trabalho, n vale a pena...rrsssssss
Acho q deixava caribar o cheque p fazer uma maldadezinha com os amigos depois....
Bom fds

Ieda Dias disse...

Maga, vc não conhece a peça...iria rir...não de gozação, mas pq é tranquilo demais.
bjins

VEJA TAMBÉM

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...