domingo, 24 de outubro de 2010

Toma lá dá cá! Em tempos de eleição...bom pra pensar


Um professor de economia na universidade Texas Tech disse que ele nunca reprovou um só aluno antes, mas tinha, uma vez, reprovado uma classe inteira.

Esta classe em particular tinha insistido que o socialismo realmente funcionava: ninguém seria pobre e ninguém seria rico, tudo seria igualitário e 'justo'.
O professor então disse: "Ok, vamos fazer um experimento socialista nesta classe. Ao invés de dinheiro, usaremos suas notas nas provas."
Todas as notas seriam concedidas com base na média da classe, e portanto seriam 'justas'. Isso quis dizer que todos receberiam as mesmas notas, o que significou que ninguém seria reprovado. Isso também quis dizer, claro, que ninguém receberia um "A"...

Depois que a média das primeiras provas foi tirada, todos receberam "B". Quem estudou com dedicação ficou indignado, mas os alunos que não se esforçaram ficaram muito felizes com o resultado.
Quando a segunda prova foi aplicada, os preguiçosos estudaram ainda menos - eles esperavam tirar notas boas de qualquer forma. Aqueles que tinham estudado bastante no início resolveram que eles também seaproveitariam do trem da alegria das notas. Portanto, agindo contra suas tendências, eles copiaram os hábitos dos preguiçosos. Como um resultado, a segunda média das provas foi "D".
Ninguém gostou.

Depois da terceira prova, a média geral foi um "F".
As notas não voltaram a patamares mais altos, mas as desavenças entre os alunos, buscas por culpados e palavrões passaram a fazer parte da atmosfera das aulas daquela classe. A busca por 'justiça' dos alunos tinha sido a principal causa das reclamações, inimizades e senso de injustiça que passaram a fazer parte daquela turma. No final das contas, ninguém queria mais estudar para beneficiar o resto da sala.
Portanto, todos os alunos repetiram o ano... para sua total surpresa.

O professor explicou que o experimento socialista tinha falhado porque ele foi baseado no menor esforço possível da parte de seus participantes.
Preguiça e mágoas foi seu resultado. Sempre haveria fracasso na situação a partir da qual o experimento tinha começado.
"Quando a recompensa é grande", ele disse, "o esforço pelo sucesso é grande, pelo menos para alguns de nós. Mas quando o governo elimina todas as recompensas ao tirar coisas dos outros sem seu consentimento para dar a outros que não batalharam por elas, então o fracasso é inevitável."
"É impossível levar o pobre à prosperidade através de legislações que punem os ricos pela prosperidade. Cada pessoa que recebe sem trabalhar, outra pessoa deve trabalhar sem receber. O governo não pode dar para alguém aquilo que não tira de outro alguém”.
"Quando metade da população entende a ideia de que não precisa trabalhar, pois a outra metade da população irá sustentá-la, e quando esta outra metade entende que não vale mais a pena trabalhar para sustentar a primeira metade, então chegamos ao começo do fim de uma nação.
É impossível multiplicar riqueza dividindo-a."

Adrian Rogers, 1931

Tá pensando em viajar? Faça uma comparação de preços de passagens e hotéis e veja dicas das cidades. Clique aqui e comprove ( e eu ainda ganho uns $$$...rs )

16 comentários:

  1. Este texto é muito bom, fecha a boca de muito comunista de carteirinha da KGB.
    Esta pergunta fica para a turma do PT, se a resposta for positiva, visto uma camisa vermelha com estrela e voto na Dilma.
    QUANTOS PAISES COMUNISTAS, SOCIALISTAS NO PLANETA SÃO RICOS, DESENVOLVIDOS E COM ALTO IDH (Indice de Desenvolvimento Humano)?
    Lembro que a China é comunista no trato com o povo e capitalista no comércio.
    Aguardo resposta ansioso.
    Luiz César

    ResponderExcluir
  2. Condiz total com nossa situação, né Brenda? Mesmo tendo sido escri to em 1.931...desanima saber que por este lado pouco mudou...
    bjins

    ResponderExcluir
  3. Meu bem precisa procurar nem camiseta nem estrela...e, quanto a resposta...vai esperando...rs
    bjos, bjos

    ResponderExcluir
  4. Eidia, pior que um experimento de um professor é a tese colocada em prática por um presidente! A plutocracia anarco-sindical (sem exageros!) fez com que nuncaantezneztepaizf analfabetos funcionais assumissem postos de destaque na estrutura funcional pública federal. Conheçi alguns, aqui de MG. Não conseguem escrever uma única frase sem cometer dezenas de agressões ao vernáculo! Confundem as obras de arte do Mestre Picasso com a pica de aço do mestre de obras! São corruptos e se acham acima da moral e da ética. Vão à Paris mais de uma vez por ano e só conhecem a Torre Eiffel. Acham que Quartier Latin é nome de puteiro! O que digo é verdade, sem NENHUM exagero! Triste país! Excelente texto! Só discordo que sejam socialistas. São somente OPORTUNISTAS! Como LULA, Dilma e o resto da corja!

    ResponderExcluir
  5. E bota corja nisso!!!!!!! Pela data que foi escrito o texto, dá pra desanimar, né Rey? Como ja disse aqui....houve pouca mudança desde então...
    bjins

    ResponderExcluir
  6. Pois é, a moça q trabalha lá em casa, diz ter uma cunhada q n quer trabalhar, praquê? Senão perde a bolsa família, sei lá mais o q, q ela e seus filhos conseguem do estado.E quem mais trabalha, e mais ganha, paga mto mais imposto.
    Sem GENERALIZAR,mas vira tudo coitadinho.Tenho vários exemplos por perto de mim, q tiveram a mesma chance e n aproveitaram, depois pleiteam isenção disto, aquilo, etc e tal...
    Tem q dividir é educação p ver se multiplica valores reais.
    bjim

    ResponderExcluir
  7. Este exemplo que vc deu, Maga, tenho ouvido por toda parte...de lugares diversos...tá cheio de gente se encostando...não querem nem saber quem pintou a zebra...quero ver ano que vem a merda que vai dar...e não vai sobrar merda pra todos.
    bjos

    ResponderExcluir
  8. PHODA, com PhD. Melhor explanação pro tema que já vi. Massa. Mande pro email do papi. Sensacional.

    Uma coisa é todo mundo se dedicar igualmente, mas alcançar resultados diferenciados em função de habilidades e questões não treináveis. Dividir este resultado igualmente é uma coisa.

    Outra coisa é quando não há investimento / dedicação igual de todos. Impossível conceber um país onde o resultado não provém do esforço. Por isso considero tanto que o bolsa família tem o seu lugar, sim. Ninguém raciocina e muito menos produz passando fome. Mas tem que ter prazo. Assim como lei de incentivo à cultura, ao esporte e todos os similares.

    O peixe só deve ser dado pelo prazo mínimo necessário para que o cidadão aprenda a pescar. Senão vira vício, senão estimula a lei do menor esforço, vira fábrica de vagabundo.

    Socorro, será que realmente vou ter que mudar de país? Vai dar mesmo a desconhecida Dilma? No creo!

    ResponderExcluir
  9. Adorei o que a Maga falou de dividir a educação para multiplicar valores reais. Falta a nós visão de futuro.

    ResponderExcluir
  10. Me vieram dois filósofos a cabeça:
    "Quem vai pagar a conta, quem vai lavar a cruz? O último a sair, acenda a luz." Lenine
    "o sistema é phoda, parceiro!" Sir. Naiscimento

    ResponderExcluir
  11. Eu também, Anoca...bem pensado.
    bjos

    ResponderExcluir
  12. Não adianta mudar de país...vai por mim, que já vivi em vários. A merda é igual em todo lugar. Só mudam os mosquitos. Até domingo à tarde ainda tenho esperança de que o povo reflita bem e não vote na anta.
    bjos darling

    ResponderExcluir
  13. Bê, vamos ver a Tropa essa semana de novo? O filme é um prato cheio pro meu blog.Desta vez com com papel e caneta. Vamo?
    bjos

    ResponderExcluir
  14. Brenda, fiz confusão com a data...o autor do texto, não escreveu em 1.931. Nasceu neste ano. OK?
    bjos

    ResponderExcluir
  15. A gente podia pedir pro Chico dividir o apto. dele em Paris com os menos favorecidos. Perdi o tesão.

    ResponderExcluir

Se você não tem conta no google, é só clicar em 'anônimo' para enviar seu comentário.